Yves Saint Laurent: “Não existe elegância se não há elegância no coração”

Em 2017, várias exposições sobre moda foram organizadas em Paris. Nomes internacionalmente conhecidos como Balenciaga e Dior foram destaques nos Museus da cidade. Mas, o acontecimento mais esperado foi a abertura do Museu Yves Saint Laurent, no prédio mesmo onde era instalado seu Ateliê de Alta Costura.


Yves Saint Laurent, um dos costureiros mais talentosos e sensíveis da sua geração, começou como estagiário do Christian Dior, e com a morte deste último, assumiu o cargo de Diretor de Criação da marca aos 21 anos, com muito sucesso.

Anos mais tarde deixou a Dior com o sonho de criar a própria empresa, e seria um dos grandes nomes da moda francesa. Entre suas criações mais conhecidas está o Smoking feminino. Uma adaptação do vestuário masculino à mulher, que passa a se vestir com mais conforto e praticidade, mas combinando elegância e simplicidade. Se adaptando à emancipação feminina dos anos 70.


A visita do museu, localizado na Avenue Marceau, começa no Salão da Alta Costura, onde foram feitos os desfiles da marca até 1976 e as clientes provavam os modelos escolhidos.

Em outra sala são apresentados as ‘Bíblias’, nome dado às fichas que guardavam todos as informações sobre os novos modelos, como tecido e acessórios.

Yves Saint Laurent dizia que suas mais belas viagens foram feitas através de livros. Inspirado por suas viagens imaginarias e objetos de arte ao seu redor, pois era um grande colecionador, criou formas em tecidos de cores vivas que retratavam sua imaginação de terras exóticas.

Entre modelos e bijuterias de seus arquivos chegamos ao Studio, o espaço de criação do costureiro.

Coração da marca, um espaço neutro, claro e silencioso que contrasta com a suntuosidade do estilo Napoleão III do resto do imóvel. Após a distribuição dos croquis ao Ateliê para a execução dos modelos em tela, os modelos eram desfilados neste local. Somente após a validação por toda a equipe e Saint Laurent eram feitos em tecido. Vários filmes são apresentados e nos dão ideia do trabalho e frenesia que antecediam a apresentação da próxima coleção.


Yves Saint Laurent passou uma grande parte de sua vida em Marrakesh, onde criou muitas das suas coleções. Para quem programa uma visita a esta cidade, indico a visita do Jardim Majorelle. Residência do pintor de mesmo nome e construída nos anos 30, uma casa pintada de azul, que seria batizado de “Azul Majorelle”.

Anos mais tarde, Yves Saint Laurent a comprou e a restaurou, e durante décadas seria um dos cenários mais badalados da cidade recebendo inúmeras celebridades. Com a morte do estilista a casa foi integrada à Fundação Saint Laurent e um Museu, igualmente dedicado ao seu trabalho foi construído.
Projeto dos franceses da firma Studio KO, em tijolos que são organizados à maneira de um tecido rendado e se adaptam perfeitamente à paisagem marroquina. Saint Laurent dizia que a elegância está na simplicidade e pureza, assim foi feito seu Museu.

 

Musée YSL Paris – 5 avenue Marceau, 75116 Paris

www.museeyslparis.com ou www.museeyslmarrakech.com